.................................................................................................................................................................................................................
Ultramaratonas  

É coisa de louco?

Os ultramaratonistas colocam à prova os limites extremos do corpo, ultrapassando a marca
dos 100 km e fazendo atividade por até 24 horas, ou mais.

Como suportar
O corpo humano suporta esforços de longa duração desde que seja preparado com treino e alimentação adequados, conhecimento e adaptabilidade aos novos limites. O físico como um todo é bastante exigido em uma prova de resistência, no entanto, o aparelho locomotor é o que mais sofre. Justamente por isso, a prática esportiva de longa duração pode acarretar danos aos tendões e articulações que compõem o sistema, sobretudo os ligamentos do joelho. Evitá-los é preocupação da maioria dos atletas, com o uso de calçados apropriados, local de treino adequado e muito alongamento.

No Brasil
Bastante difundida na Europa, a ultramaratona desponta agora no Brasil e conquista adeptos. Em uma das principais provas nacionais, a Ultramaratona Mizuno 24 horas, o campeão Valmir Nunes correu 270,2 quilômetros, recorde das Américas. O atleta de 38 anos, bicampeão mundial de 100km (91 e 95), pratica a modalidade desde 1990.

 

O principal é a preparação
Segundo o fisiologista e professor da Unicamp Miguel Arruda, a preparação é primordial nas provas de resistência. "O praticante deve estar bem treinado, sobretudo na parte aeróbia. Durante a competição é importante dosar o ritmo do esforço, ou seja, não iniciar a prova em ritmo demasiadamente intenso. Outro ponto é a hidratação durante a corrida. Deve-se ingerir líquidos, em especial se a prova for realizada em dia de muito calor. Em um espaço de meia hora após o término é importante a ingestão de líquidos ricos em sais minerais para uma aceleração do processo de recuperação pós-esforço. Os líquidos a serem ingeridos podem ser os compostos ricos em carboidratos".

A alimentação deve ser composta por carboidratos, proteínas e reguladores.
Durante as competições, Valmir Nunes consome banana, frutos secos, barra de cereal, chocolate, água, bebidas isotônicas, refrigerante e sopa instantânea.

 

O treino de Valmir
Para garantir bons resultados treina diariamente em dois períodos, descansando apenas nos domingos à tarde.
Em fase de intenso treinamento, corre de 50 a 70 km por dia e faz semanalmente sessão de musculação para ganho de força muscular, seguida de uma aula de aqua jogger (piscina funda).
Em época de descanso, o corredor percorre em média 20km por dia. Na musculação, trabalha com 60 a 70% da carga máxima, entre três a cinco séries com seis a dez repetições.
Um atleta como Nunes levou anos para chegar nesse nível. Iniciantes devem sempre procurar a orientação de um profissional de Educação Física e fazer um trabalho planejado para este tipo de atividade.

 

O desgaste de Luciano
Outro experiente corredor de ultramaratona, Luciano Prado prefere comer purê de batata, macarrão, bolachas, além de banana e chocolate. Prado é o atual campeão sul-americano de pista 24 e 48 horas e confirma que disputar ultramaratona requer muito preparo do atleta, tanto físico quanto emocional. "Numa prova, perco de três a quatro quilos. Além disso, o desgaste é tanto, que começo a correr com tênis número 39 e termino com 42 em função dos pés inchados. Também é preciso ter o apoio da família e dos amigos. Se a gente está com a cabeça no lugar, tudo é mais fácil. Para ficar tranqüilo gosto de correr ouvindo música. Em alguns momentos me empolgo e começo a cantar junto."

 

O psicológico
Arruda afirma que a preparação psicológica é tão necessária quanto a física. "O componente psicológico é muito importante a ser trabalhado, sobretudo no que se refere a suportar longas horas de atividade. Este trabalho é parte inerente ao próprio treino, não existe um treinamento específico para a parte psicológica".

 

A roupa
O atleta tem de escolher materiais bons e com fibras adequadas. "Se você corre usando roupas pesadas, seu desempenho ficará comprometido. Outra coisa é o suor, que ajuda a deixar a roupa desconfortável. Troco, em média, cinco vezes de roupa", afirma Prado.

 

Louco? Nãããoooo!!!
Correr horas seguidas parece coisa de maluco, mas não é, segundo os atletas. Para Valmir Nunes, doidos existem em qualquer área, mas para disputar este tipo de prova é preciso ser objetivo. "Quero sempre vencer o meu limite, não um adversário". Luciano Prado (foto) afirma que a modalidade precisa de preparação, dedicação total e biótipo físico adequado. "Esta é uma prova relativamente nova no Brasil, mas não é corrida para loucos. É para poucos".

 

Vovô
Prova de longa duração não é privilégio de jovem. Aurélio Alves, 74 anos, sempre praticou atividade física em função da profissão de bombeiro. Com a aposentadoria decidiu se dedicar ao esporte. Aos 69 anos, começou no atletismo e encontrou prazer na ultramaratona. Com um treino diário de 20km e uma alimentação balanceada, Alves deseja encarar uma prova de 48 horas. "Meu segredo é ter muita vontade. O desafio é um prato cheio para mim".

 

Resumindo
Os atletas revelam que para ter sucesso em uma prova de resistência é preciso boa alimentação, descanso e saber dosar o esforço, além de muita concentração e paciência.

Por Renata Rondini