.................................................................................................................................................................................................................
Alongamento


Muita gente reclama e tenta fugir, mas trabalhar a flexibilidade por meio de
alongamento melhora o rendimento e diminui o risco de lesões

 

Treinar é uma satisfação. Competir, a realização. Para todo corredor, estar em atividade é motivo de alegria. Colocar os músculos à prova, levar a resistência ao limite. Tudo isso é parte da vida do atleta, seja ele profissional ou amador. Nunca é demais lembrar que é preciso cuidar bem do corpo antes de levá-lo a extremos. Antes e depois da atividade, alongar é preciso. Aumenta a flexibilidade, melhora o rendimento, a resistência muscular e diminui o risco de lesões.

 

Cada pessoa, dependendo da necessidade individual, deve possuir um grau razoável de flexibilidade para executar movimentos de forma eficaz, tanto na rotina diária como na prática esportiva. Aulus Sellmer, diretor técnico da 4any1 – Assessoria Esportiva, comenta que flexibilidade é influenciada por diversos fatores, como idade, sexo e raça. “Já está comprovado que as mulheres apresentam maior grau de flexibilidade do que os homens. Isso se deve a algumas razões fisiológicas, pois as mulheres apresentam maior quantidade de estrógeno (resulta na minimização do atrito entre as fibras musculares).”

 

O alongamento também ajuda a prevenir lesões porque relaxa a musculatura (efeito agudo) e permite a realização segura de movimentos de maior amplitude muscular (efeito crônico). Os técnicos indicam o exercício antes e após treino. Isso significa que preguiça e cansaço não são desculpas para quem busca um bom rendimento físico. “O alongamento depois é até mais importante na prevenção de contusões que o feito antes. O músculo alongado tem menor chance de sofrer lesão do que na sua forma "encurtado" ou contraído, pois o seu limite funcional é maior. Após competição, pelo traumatismo por repetição, vem a dor e a contratura. Nesta hora, alongar é uma boa escolha terapêutica”, confirma o coordenador técnico e médico da equipe Pé de Vento, Henrique Viana.

 

Os erros mais comuns dos corredores, apontados pelos treinadores, são postura incorreta para execução do exercício, tempo exagerado em cada posição, desconhecimento do grupo muscular envolvido e desequilíbrio na seleção dos exercícios. “O alongamento deve ser individualizado e bem executado. O erro mais comum é o ativo ou forçado, podendo levar a microlesões osteo mioarticulares. O alongamento correto seria o tipo que nós não forçamos a musculatura. No máximo, podemos ir até o momento que começamos a sentir dor e, aí, parar”, destaca Viana.

 

Profissionais da saúde e atividade física concordam que contraturas e dores musculares, surgimento de lesões com mais freqüência, dificuldade de recuperação entre as sessões de treinos e na própria execução do exercício, além de problemas posturais, podem ser sinais de que os movimentos estão sendo executados de forma errada. A orientação de um técnico ou preparador físico podem evitar esse tipo de problema.

 

“Os exercícios requerem paciência e tempo. Para que sejam realmente eficientes devem ser executados da maneira correta. Normalmente, o aluno não dispõe destes quesitos. Falta de tempo é a desculpa mais comum, mas, certamente, tal displicência deve-se muito mais à falta de consciência por parte do praticante sobre a importância do alongamento”, acredita Flávio Freire.

 

E em dia de prova valem os mesmos conselhos usados no treinamento. “Pode ser mantido o mesmo alongamento de costume. O ideal é fazer, além do alongamento, um aquecimento, elevar a temperatura do corpo e a freqüência cardíaca. Alongamento é um acessório imprescindível”, afirma Ricardo Arap, treinador da Race Consultoria Esportiva.

A indicação dos técnicos é de que o alongamento em cada um dos grupos musculares tenha duração de 8 a 60 segundos, e as repetições devem variar de uma a cinco . Lembrando que o esportista deve estar atento para realizar sempre o alongamento adequado a atividade física que irá realizar e respeitar os limites do corpo. E não esquecer: alongar é preciso.

 

Dicas para o alongamento
1. Selecionar os exercícios que envolvam os músculos agonistas e antagonistas
2. Verificar a postura correta antes de iniciar o exercício
3. Respeitar o limite do corpo
4. Evitar bloqueio. Respirar naturalmente.

 

Por Renata Rondini
Matéria publicada originalmente na Revista SuperAção (Set/03)