.................................................................................................................................................................................................................
Fique por Dentro

 

A importância do desaquecimento no treinamento.
E o cinto de levantamento e prevenções de lesões à coluna vertebral

 

 

Importância do DESAQUECIMENTO no treinamento

O período de desaquecimento de uma sessão é caracterizado pela realização de trotes, bicicleta ergométrica, alongamentos e exercícios de respiração e relaxamento.

A função destes exercícios é a de restabelecer a freqüência cardíaca em níveis de repouso, evitando uma parada brusca na atividade, o que é desaconselhável ao sistema cardiorrespiratório, além de otimizar o processo de regeneração do organismo.

O desaquecimento deve ser utilizado ao final de cada sessão de forma mais prolongada e, durante a sessão, nos intervalos de recuperação entre cada exercício.

 

 

As duas principais razões para a execução do desaquecimento são:

• Os níveis sangüíneos e musculares do lactato (um dos responsáveis pela fadiga muscular ) diminuem mais rápido durante o exercício de recuperação do que durante o repouso. Isso devido à conversão metabólica do lactato ser otimizada pelo aumento da circulação de oxigênio, o que permite maior rendimento na sessão.

• Uma atividade ligeira após o exercício mantém o fluxo sangüíneo, prevenindo a ocorrência de contraturas e dores musculares tardias.

 

O exercício de recuperação é utilizado com 40% a 60% da intensidade máxima, quando ocorrerão
os efeitos acima descritos.

Devemos também programar sessões de sauna, massagens, hidroterapia e de relaxamento dentro dos dias de treinamento, pois estes procedimentos têm a eficiência comprovada como redutores dos tempos de recuperação do organismo, permitindo ao atleta uma evolução mais rápida de sua capacidade de performance.



CINTO DE LEVANTAMENTO e prevenção de lesões à coluna vertebral

Muitos praticantes de musculação utilizam os cintos de levantamento na expectativa de que estes sejam vitais para a proteção da coluna lombar durante exercícios mais intensos.

Durante levantamentos intensos, a coluna vertebral, em sua região lombar, é protegida por intermédio da contração dos músculos abdominais em conjunção com as musculaturas da região lombar, criando, assim, um suporte biomecânico que sustenta as estruturas vertebrais quando estas estão sujeitas a cargas de alta amplitude.

 

A lógica do uso dos cintos reside na hipótese, ainda não comprovada, de que este aparato proporciona um aumento da contração destas musculaturas, acarretando maior pressão intra-abdominal e, conseqüentemente, maior suporte às estruturas da coluna vertebral.

Os diversos estudos conduzidos dentro desta questão têm demonstrado que os cintos de levantamento exercem pouca influência sobre a proteção da coluna lombar.

 

Apenas alguns estudos têm demonstrado uma vantagem mecânica proporcionada pelos cintos de levantamento. Em alguns casos, têm sido constatados maiores riscos de lesão ao se utilizar os cintos, pois este aparato teve um efeito inibitório sobre as musculaturas estabilizadoras da coluna vertebral.

A conclusão sobre o assunto é que necessitamos de mais estudos que demonstrem os benefícios ou malefícios que os cintos de levantamento possuem.

Acredito que os cintos podem ser úteis caso observemos algumas regras básicas:

 

A) É necessário o domino técnico dos movimentos e a utilização de cargas adequadas que não comprometam a técnica de execução dos movimentos. Caso isto ocorra, não será o uso do cinto suficientemente poderoso para anular os efeitos negativos de erros de execução combinados a excessos de sobrecargas.

 

B) O uso dos cintos deve ser restrito apenas aos levantamentos máximos em exercícios executados entre 1 a 6 repetições. Nos outros casos é necessário aprender a utilizar as musculaturas estabilizadoras para a proteção da coluna vertebral. Ao utilizar-se o cinto o tempo todo, alguns estudos demonstram que o praticante acaba não desenvolvendo o perfeito recrutamento destas musculaturas.

 

 
C) O aluno deve ter condicionado, com treinamento adequado, suas musculaturas estabilizadoras da coluna vertebral, nas fases de treinos anteriores, antes de ser exposto a exercícios em intensidade máxima que envolvam a utilização de pesos livres. Principalmente em movimentos como agachamentos, levantamentos terra e exercícios na posição ereta.

Caso observemos estas recomendações, o cinto de levantamento converte-se em uma ferramenta de grande importância ao treinamento com pesos.

 


 

Por Prof. Benito Olmos
Matéria publicada na Revista SuperTreino (Ed. 10 e 11)